Que me Segue?

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Esta sou eu surtando...

Eu não gosto de rótulos! Tenho milhares de apelidos, milhares de gostos, milhares de formas de viver, milhares de eu's, todos diferentes. Dificilmente eu serei a mesma pessoa de ontem, não espere isso. Eu não sou católica, não sou protestante, não sou crente, não tenho religião. Não tenho partido político também, não tenho causa definida, ou talvez tenha, fazer os outros felizes e a mim mesma também. Mas não gosto de rótulos.

E as outras pessoas em?? Elas me deixam louca! Tão preocupadas em rotular! Essa é a palavra. São todos rotuladores de plantão, de nascença. Fulano é punk, sicrano é louco, o rapaz ali é crente, aquela ali?? Ah ela é puta! Todos tão loucos para a nossa querida rotulação! Não é culpa deles não! É culpa de alguma coisa maior, talvez seus próprios cérebros que sentem a necessidade de criar grupos e subgrupos e mais subgrupos para cada coisa ou pessoa nova que conhecemos.

Isso acontece muito quando conhecemos pessoas novas, repararam? Oi, prazer. Eu sou Marianne de Guaratinguetá, interior de São Paulo... Aham... Viu? Acabei de me rotular. Agora eu serei pra sempre lembrada como a garota do interior de São Paulo! Quem se importa com isso? Quem se importa se eu vim do interior ou se eu vim do Alasca? As conversas não deveriam girar em torno de coisas fúteis. Hoje eu moro no interior, quem me garante que amanha estarei aqui mesmo? Isso não importa!

É sempre a mesma coisa! Iniciamos por ligar um nome a uma situação ou função. Sicrano X da faculdade Y. Beltrano Z dentista tal! Fulano W Pronto! Rotulamos! É tão simples, tão natural que aposto que ninguém mais percebe. Sentimos a necessidade de identificar aquilo que esta perto de nós, por conforto. E é tão natural que nem percebemos mais, aprendemos isso na escola. Não sei se é a coisa mais inteligente pra se ensinar.

Mata a criatividade criar grupos de coisas. Entendam, não estou dizendo que ter grupinhos de amigos não é bacana. Mas não seria muito muito muito melhor se todooos fossem amigos?? E não dividir a sala toda em grupinhos e panelinhas ridículas, todas se encrencando e criando intrigas ridículas? Ah, eu estou viajando aqui!

Não importa. Nada importa muito, eu acho. Eu só acho que estamos nesse mundo de passagem, e é um tempo muito curto pra gente se importar com os rótulos que os hipócritas nos dão. Se você é um rotulado da vida, experimente abandonar todos os rótulos! Sim, qual o problema em não ter rotulo? Ninguém morre por não ter rotulo. Na verdade as pessoas morrem bastante quando são rotuladas, o tempo todo!

Mas do que eu estou falando? Passe uma aguinha com sabão no seu rotulo!! Experimente isso... É libertador...


Anne!

4 comentários:

miesterludi disse...

Poderiamos debater isso dentro do topico "vivendo em sociedade do manual de instruçoes humanas, o fato de dizer que nao se tem rotulos não seria então uma forma de se rotular? vou começar assim meu post e debateremos atraves dos blogs uhauhauhauhauhauha me aguarde fuinha!!!

Anne Luka disse...

Seu troll!!

Anônimo disse...

chamá-la pelo nome e acrescentar 'minha filha querida' (só pq eu sinto isso ...) é um bad rótulo??

miesterludi disse...

MANHEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEÊ... aquela fuinha ali me chamo de troooooooooooooollll uhauhauhauhauha (mas nao foi um rotulo ne?)

Meus livros favoritos!