Que me Segue?

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Triste por que?


Às vezes eu me pergunto - e acho que não é tão bom assim - por que ficar triste é muito mais fácil que ficar feliz. Devia ser o contrario, mas me parece que qualquer coisa que nos deixe feliz é inversamente (e infinitamente) proporcional ao que nos deixa triste. E a tristeza sempre perdura por mais tempo que a felicidade.

Será que temos - o ser humano em geral - a necessidade de remoer coisas que nos ferem, e somos incapazes de ser felizes? Varias pessoas que conheço vivem de tristeza passando por alguns vários e curtos períodos de felicidade extrema e depois tristeza novamente.

Enfim, não estou dizendo que todas as pessoas do planeta Terra são assim obvio.. Mas repara bem, por que é mais fácil ser triste?

Pensando nisso ao lembrar aquela musica famosinha de Tom Jobim:

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

Tristeza não tem fim
Felicidade sim...

Alguém tem alguma opinião sobre o assunto? Será bem vinda..
Anne


4 comentários:

Cesares_J disse...

Ah que se ressaltar que felicidade é tão intenso quanto qualquer outra coisa... daí então, tempo é irrelevante!

miesterludi disse...

alem de tristeza e felicidade existe o periodo de normalidade, nem feliz nem triste, e nesse periodo sem a cegueira da felicidade ou a neurose auto punitiva da tristeza é que a gente tende a remoer o "mal resolvido" ... seria mais facil e menos doloroso se deixassemos menos coisas chatas a se resolver, sanar elas na raiz, enquanto ainda não é problema... mas tendemos a acumular, e remoer tudo depois... pelo menos eu acho que é assim...

Anônimo disse...

já dizia 'o poeta':
"é melhor ser alegre que ser triste, a alegria é a melhor coisa que existe..."
eu, vc bem sabe, olho a vida com olhos de arco-íris né?
te amo!
T.A.

Lifeless disse...

Talvez a tristeza seja o pano de fundo da felicidade,felicidade que se abre em janelinhas que brilham nesse pano de fundo,cedo ou tarde elas passam e nesse meio tempo entre ir e vir de janelinhas há o questionamento que pra mim é o Pai da infelicidade..

Adios

Meus livros favoritos!